A situação dos jovens brasileiros nunca foi tão desesperadora como agora. Desde a derrubada da presidente Dilma, no golpe articulado por Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer, com sua ‘ponte para o futuro’, o desemprego na faixa etária entre 18 e 24 anos, praticamente dobrou, passando de 15,8% para 28,1%.

A apuração é do jornalista Douglas Gavras. “Desde o início de 2016, a desocupação entre os brasileiros de 18 a 24 anos não fica abaixo da casa dos 24%. E, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, essa taxa vem até aumentando: passou de 25% no final de 2017 para 28,1% no primeiro trimestre deste ano”, aponta. “No fim do ano passado, eram 4 milhões os jovens em todo o País que estavam sem uma ocupação. O número de ocupados como informais também cresceu mais entre esses brasileiros do que nas demais faixas etárias nos anos recentes, de acordo com análise da consultoria LCA a partir dos dados da Pnad.”

Só na Grande São Paulo, dados do Dieese (que usa metodologia diferente do IBGE) mostram que a taxa de desocupação entre aqueles que têm entre 16 e 24 anos era de 37,4% em março – uma queda em relação ao mesmo mês de 2017, mas 14 pontos porcentuais acima do patamar de 2014, antes da recessão“, pontua o jornalista.

No fim de 2015, no governo da presidente Dilma, a taxa chegou a cair abaixo de 15%. No entanto, em 2015, seu governo foi paralisado pela sabotagem organizada por Aécio Neves e Eduardo Cunha, que atendia aos interesses de Michel Temer e FHC. Em 2016, com o golpe consumado, os resultados da economia não melhoraram e, por isso, quase 30% dos jovens não trabalham no País.

Com informações e imagem do Brasil 247

img advertisement
img advertisement
img advertisement