Com ênfase para a necessidade de uma mudança da sociedade em geral, em parceria com as instituições e os órgãos envolvidos com um projeto de redução do índice de acidentes e mortes no trânsito, o superintendente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB), Agamenon Vieira, abriu oficialmente, nesta segunda-feira (7), no auditório do Fórum Cível, em João Pessoa, a programação alusiva à 5ª Edição do Movimento Maio Amarelo no Estado.

Destacando o tema deste ano “Nós somos o trânsito”, Agamenon Vieira remeteu à origem da campanha, instituída após assembleia geral das Nações Unidas, realizada em março de 2010, em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) constatou que cerca de 1,3 milhão de pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito no ano de 2009. Ainda de acordo com a OMS, cerca de 50 milhões de pessoas sobreviveram aos acidentes, porém apresentando sequelas graves.

Segundo ele, esse foi o grande sinal de alerta, de advertência, com o intuito de chamar a atenção da população quanto aos altos índices de mortes e acidentes nas vias e rodovias públicas. “Aqui na Paraíba estamos colocando para a sociedade, através das suas representações, e até para a Igreja, a fim de difundir essa advertência entre todos, porque há uma guerra absurda entre condutores de seus carros modernos e potentes, que confirmam que 90% dos acidentes são em decorrência de falha humana, pelo comportamento indevido no trânsito, seja pelo uso do celular, pela falta do cinto, pela alcoolemia etc”, enfatizou.

O superintendente ainda destacou o trabalho que vem sendo feito pelo Detran da Paraíba, por meio dos seus diretores e servidores, presentes na solenidade, especialmente da Divisão de Educação de Trânsito (DET) e da Escola Pública de Trânsito (EPTran).

Palestra – O tema do Maio Amarelo, “Nós somos o trânsito”, inspirou a vice-presidente da Associação Nacional dos Detrans (AND) e diretora geral do órgão no Maranhão, Larissa Abdalla, a discorrer, durante palestra realizada na abertura, sobre a indiscutível importância do evento, no sentido de fazer repensar o meio em que vivemos, com índices alarmantes de mortos e sequelados no trânsito, números superiores quando comparados às perdas de vidas em guerras civis, epidemias e endemias.

“É com consternação que devemos recordar que os acidentes de trânsito são a principal causa de mortalidade na faixa dos 15 a 29 anos entre brasileiros. E mais: é a segunda causa, na faixa de 5 a 14 anos, e a terceira, na faixa dos 30 aos 44 anos”, destacou Larissa Abdalla, acrescentando que o Maio Amarelo surgiu em 2014, como um congraçamento dos órgãos públicos e da sociedade civil pela máxima atenção ao trânsito.

“Mais do que uma mera campanha de educação, o Maio Amarelo pode ser entendido como uma verdadeira política pública voltada para o trânsito e à paz que queremos diante de tantos mortos”, ressaltou, destacando ainda que o tema conclama a mudar o comportamento, chama para a responsabilidade coletiva da sociedade, no sentido de fazer a “mea culpa” e optar pela escolha certa: não beber ao dirigir, usar o cinto de segurança, não usar o celular enquanto dirige etc.

O evento contou com a participação de representantes da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (João Alves), do Tribunal de Justiça da Paraíba (Carlos Sarmento), do Departamento de Estradas e Rodagens (Carlos Pereira), da Secretaria de Estado da Educação (Roziane Marinho), da Secretaria de Estado da Saúde (Isabel Sarmento), da Assembleia Legislativa (Ricardo Barbosa), da Arquidiocese da Paraíba (Padre Salvador), além da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Autoescolas, Ongs e prefeituras municipais.

Com informações da Secom – PB

img advertisement
img advertisement
img advertisement